Cada vez que você compra um filhote, morre um animal na carrocinha ou num abrigo.



segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Perdemos um focinho nesta noite, a Dona Efigênia se foi!
Ela começou com dificuldades para caminhar mas não me preocupei tanto porque a caixa da bóia dela tava funcionando que era uma maravilha!... tinha marcado veterinário para hoje, segunda, mas quando acordei ela já tinha se ido, tava na caminha, deve ter morrido no soninho, tenho certeza que ela não sofreu.
Fico feliz porque o propósito, que era dar um finzinho de vida mais digno à ela, foi realizado. Sei que ela foi feliz no pouco tempo que ficou aqui pois tentava fazer festa com aquela pata torta quando eu chegava em casa e lavava meu braço com aquela língua enorme e a boca sem dentes.
Obrigada a todos que ajudaram para que ela possa ter morrido numa caminha e não jogada na calçada como eu a encontrei.

Foto tirada no dia em que encontrei a Dona Efigênia, dia 14 de junho de 2008
Aqui, ela dormindo, que era o que mais fazia, diga-se de passagem... a língua, quase sempre prá fora pois não tinha dentes para segurar...

Tentando olhar para a foto.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

3 anões

Dos 7 anões, 3 não foram doados e estão crescendo...

...a Marrom é a mais calminha dos três.
Torrada, a mais brabinha:
Dunga, Dundum para os íntimos:

Tods os três já estão castrados e vacinados.
Abaixo, fotos de quando eles eram menorzinhos.


Dunga ou DumDum


Torrada e DumDum, de novo!
e Marrom.

Abaixo, um vídeozinho onde aparece eles brincando com o Toston, que chegou depois deles e já foi doado. Olhem que gracinhas que eles são e ajudem a divulgar a adoção deles.
video

As Três Marias

Maria Fuxico, Maria Beijoqueira e Maria Maluquinha

Essas 3 gatinhas caíram, uma por dia, num pátio com cães. A mãe delas, uma gata arisca que não se deixa pegar para ser castrada, ganha seus bebês no pátio vizinho e quando eles começam a caminhar, acabam caindo. Um irmãozinho foi morto pelos cães mas conseguiram pegar as Três Marias antes que elas tivessem o mesmo fim.

Devem ter uns quartenta dias, já comem ração seca, estão desverminadas e adooooram um carinho!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Doações de Rações

Estamos recebendo rações para Santa Catarina no endereço e horários abaixo. Favor escrever nas embalagens PARA ANIMAIS, porque irão no avião da Defesa Civil do Estado do Rio Grande do Sul, juntamente com outros donativos.
Os produtos podem ser entregues em um endereço comercial, de segunda a sexta-feira (não é sede de ong), que aceitou estocar os produtos.
Endereço: Rua Demétrio Ribeiro, 525 (Centro)
Porto Alegre - Rio Grande do Sul
horário: das 9:00 às 11:30 e das 14:00 às18:00. (horário comercial)
Junta-te a nós e vamos colaborar com os animais sobreviventes.
http://email.terra.com.br/cgi-bin/vlink.exe?Id=C5dzzkTf1YwH9VjggTK0/1XKK1p9nHyAf4Q26L36c24%3D&Link=http%3A//www.emmilia.com/emmilia/%3Fc%3DExt%26cod_contato%3D708%26cod_mailing%3D2440%26m%3DClick%26cod_mailing_url%3D13213

Animais em Santa Catarina

O GAE POA, amigos e simpatizantes da causa animal, estamos solidários com o sofrimento do povo catarinense. A mobilização do governo federal e dos Estados brasileiros, bem como da população do país, tem por dever aplacar as necessidades imediatas dos desassistidos. Entre as vítimas da tragédia, estão também os animais que só contam com iniciativas de poucas ONGs. Muitos cães têm sido encontrados mortos, presos a coleiras nos pátios de suas casas, gatos ficaram nos apartamentos, sem que seus donos tivessem conseguido salvá-los. Centenas seguem nos telhados e nas árvores sobre as águas.
Nosso apelo, neste momento, é para que, além da ajuda oferecida aos humanos, também se façam donativos para os grupos que estão tentando resgatar e tratar animais.

Itajaí
O apelo da ONG Viva Bicho dá conta de que os animais não têm como pedir socorro e não conseguem se ajudar sozinhos. Muitos estão ilhados, sem comida, com medo, frio, à espera de ajuda. Cães e gatos sobreviventes vagam pelas ruas à procura de suas famílias e de alimentação. Apela-se aos moradores que tentem alimentar os animais que estão na rua.
Não há ração disponível para compra na cidade, precisando ser enviada de outros lugares. Qualquer doação reverterá na ajuda imediata para resgate e tratamento dos animais sobreviventes.

Contato: Bianca - Ong Viva Bicho
(47) 8425-1459 / 9903-5441
Banco do Brasil
Ag. 1489-3 cc 20793-4
Associação Viva Bicho
CNPJ 06 156 776 / 0001 - 81

Blumenau
Segundo informes da APRABLU - Associação Protetora de Animais de Blumenau, há muitos animais ilhados e também perdidos pela cidade, e a ONG pede que os moradores tentem alimentar e confortar os animais que encontrem. A Associação pede com urgência doações para compra de medicamentos, alimentação, condições de abrigagem, cordas e potes.
Contato para doações:
e-mail: aprablu@terra.com.br (Bárbara)
Caixa Econômica Federal (ou lotéricas)
Ag.411Op. 013
C/C 187-5
Simone Ruth Stoltz

Florianópolis
Menos atingida do que as cidades do interior, a capital de Santa Catarina, por meio de integrantes do GAE Floripa e do É o Bicho organizam o envio de estoque de rações a Itajaí, já contando com uma forma de transporte para sábado. Contato para apoiar com doações: e-mail: ordepdarc@gmail.com (Pedro)


Passo Fundo
Na cidade gaúcha de Passo Fundo, voluntários da Amigo Bicho conseguiram apoio da Defesa Civil local para que sejam enviadas à Santa Catarina rações para gatos, cães, cavalos e bois, assim como doações de potes, coleiras e correntes, a serem arrecadados na cidade. Os donativos podem ser entregues no corpo de Bombeiros da Moron (atrás da Escola Notre Dame) e da Petrópolis, devendo as embalagens ser identificadas como sendo "para animais".
Contato: Diane Tauffer
Passo Fundo – RS
(54) 9188 3564
(54) 8402 5726
jornalamigobicho@yahoo.com.br
amigobichopf@gmail.com

Porto Alegre
Se conheces quem possa transportar uma carga de ração para Santa Catarina, escreve-nos (gae.portoalegre@gmail.com) para que possamos deflagrar uma campanha de donativos. Contato feito por companheiro do GAE com a Defesa Civil não trouxe muita esperança de que aceitem levar doações para animais. Informação que estamos tentando checar.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

A história desse bebê não tem muita novidade. Ela foi abandonada na rua, simplesmente largada dentro de um pátio. Quando será que as pessoas vão perceber que é melhor castrar do que abandonar?

É bem novinha, deve ter pouco mais de 30 dias, Come ração seca com dificuldade pois os dentinhos recém saíram. Prefere comer uma papinha ou tomar um mingau. Foi desverminada, estava tomada de pulgas e vermes. Não incomoda nada, não chora, só come, dorme, brinca um pouco e corre atrás da gente como se tivesse medo de ser abandonada novamente.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Feiras e Pontos Ecológicos de Porto Alegre e grande PoA

* As feiras e os Pontos de Oferta Ecológicos oferecem produtos diretamente dos produtores da área rural de Porto Alegre e do interior do Estado (até 200 km da capital) para a comercialização direta ao consumidor.


1 - Av. José Bonifácio Esq. Oswaldo Aranha- Feira Ecológica - Sábado Manhã

2- Av. Cristovão Colombo (Estacionamento Do Shopping Total )- Feira Ecológica - Sábado Manhã

3- Av. Tramandaí, na Rótula Da Igreja -Feira Ecológica - 4ª Tarde

4- Rua Felizardo, nº 84 - Praça Nações Unidas -Pontos De Oferta Ecológic - Sábado Manhã

5- Rua Felizardo em frente Ao nº 442- Pontos De Oferta Ecológicos - Sábado Manhã

6- Av. Oscar Pereira Esq. Rua Moysés A. Da Cunha- Pontos De Oferta Eco- Sábado Manhã

7- Av. Getúlio Vargas, 1384 - Pátio Da Sec. Da Agric. - Feira Eco- 4ª TardeE Sábado Manhã

8- Rua Luiz De Camões Esq. Rua Paulino Chaves -Pontos De Oferta Ecológicos 3ª Tarde

9 - Rua Ernesto Schlieper Esq. Rua Lazar Segall-Pontos De Oferta Eco- Sábado Manhã

10- Av. Otto Niemeyer Esq. Av. Wenceslau Escobar -Feira Ecológica Sábado manhã

11 - Venâncio Aires, 531 -Seleção Natural, 5ª F- Manhã

12- Sítio Do Guido: Tele Entrega De Produtos Orgânicos: 3496.0592

13- Viamão: R. Francisco Vaz Ferreira, 106/Lj 05, Centro. Fone: 3446.8473 (e-mail: n.naturezapura@ gmail.com)

14 - Frango Caipira: Sirlei (3435.4252 / 3446.0474/ 9941.1150), Viamão. Tb Na Feira De Sábado No Bom Fim.

15 - Seleção Natural: 3026.7070 - Venâncio Aires, 531 (nas 5ª feiras, acho que tb nas 4ªf)

16 - Cooperativa GiraSol, na Pracinha do Colégio Julho de Castilhos (Julinho), nº141. Encomendas pelo site: www.coopgirasol.com.br

Quanta tristeza - DANUZA LEÃO

São Paulo, domingo, 19 de outubro de 2008 (Folha de São Paulo)

"Minha gatinha era silenciosa, discreta, não miava, mas sem ela a casa
está deserta, e minha vida também

MINHA JUJUBA MORREU . Vivemos juntas durante três anos e eu nunca
imaginei que gostasse tanto dela quanto gostava. Jujuba era uma
gatinha branca tão arisca que nunca consegui botá-la no colo para
fazer carinhos, como tantas vezes tentei. Ela não dava intimidades,
mas gostava de mim. Me seguia pela casa onde eu fosse, deitava do meu
lado, bem encostadinha na minha perna, mas não gostava que eu a
tocasse. No máximo, eu podia pôr a mão em cima dela, sem mexer um dedo
que fosse. Mas na hora em que eu ia dormir, o lugar dela era sempre no
travesseiro ao lado do meu.
Jujuba começou a emagrecer, e quando chamei a veterinária, foi feito
um exame de sangue e constatada uma doença no fígado. Ela foi
internada, e como não comia, começou a ser alimentada por soro. Fui
vê-la na clínica e me cortou o coração ver aquela coisinha tão
pequena, com uma patinha raspada para colocar o cateter, e me olhando
com seus grandes olhos amarelos, como se perguntasse "por que estão
fazendo isso comigo?". Foi muito, muito triste vê-la assim. Eu ligava
três vezes por dia para ter notícias, mas a resposta era sempre a
mesma: o quadro era estável, isto é, nada havia mudado.
Até que um dia a veterinária me disse que, se nos próximos dois dias
ela não tivesse uma grande melhora, não haveria mais esperanças. No
dia combinado, liguei às 11h da manhã, e ela me disse que minha Jujuba
já estava em coma e que era uma questão de horas. Perguntei se ela
deixaria a natureza agir e ela disse que sim; ela não estava sofrendo,
não era o caso de sacrificá-la.
No primeiro momento senti até um certo alívio; pensar em Jujuba no
soro, se alimentando através de uma seringa, era triste demais. Mas
esse alivio durou muito pouco: quando pensei que nunca mais ia vê-la
nem tê-la deitadinha perto de mim, fiquei com o coração apertado.
Estava sozinha em casa, não tinha com quem falar, fiquei tonta, sem
saber o que fazer. E resolvi, apesar da minha covardia nessas horas,
ir me despedir dela. Não queria, não podia deixá-la morrer sozinha.
Fui para a clínica e telefonei do carro, mas ela havia morrido há 20
minutos. Não tive coragem de vê-la morta. Eu achava que não seria mais
capaz de chorar, que já havia chorado todas as lágrimas que tinha, mas
que nada. Passei dois dias só lembrando dela passeando pela casa com
aquela elegância, andando pelas costas do sofá, deitada em cima dos
jornais que eu ainda não havia lido, e sobretudo da hora em que me
deitava, com ela no travesseiro ao lado; e estou com uma saudade tão
grande que não dá nem para contar. Ela era silenciosa, discreta, não
miava, mas sem ela a casa está deserta, e minha vida também.
Nunca pensei que pudesse ficar tão triste com a morte de uma gatinha;
nunca havia passado por isso, e nunca mais quero passar. Mas não vou
me esquecer dela; do jeito que se encostava na minha perna e fazia
dela travesseiro, do jeito que me olhava pedindo que eu lhe desse um
petisco -ela adorava atum de lata-, e lamento muito, muito mesmo, por
não ter chegado na clínica mais cedo, para estar fazendo um carinho na
sua cabecinha, nos seus últimos momentos, ou só botar a mão em cima
dela, sem mexer um dedo, como ela deixava. Deve ser triste morrer tão
sozinha. E a morte continua sendo incompreensível e inaceitável, mesmo
a de uma gatinha."

danuza.leao@uol.com.br

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Castrações em julho e agosto

Por não aguentar ver cenas como a da foto abaixo, o Projeto Castracãoegato encaminhou para esterilização no domingo, 03 de agosto, em parceria com uma clínica veterinária, 6 cães machos e 7 fêmeas da Vila Pinto.

Os voluntários vão de porta em porta para orientar os moradores e cadastrar animais. Os responsáveis pelo animal assinam uma autorização e os animais são encaminhados à clínica, na data marcada, para a cirurgia.
Abaixo, a Fera voltando para a casa já castrada.

Não deixe de ver na sessão "Castrados" os animais que foram esterilizados através do Projetocastracãoegato e ajude o Projeto a continuar, apadrinhando a castração de um cão ou gato.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

domingo, 21 de setembro de 2008

21 de setembro - Dia da Árvore

Reproduzindo o texto:
" Na guerra pelo progresso, o homem não mede esforços e as consequências dos seus atos. O importante é avançar. Numa batalha desigual, destrói insanamente os recusrsos naturais, essencias à sobrevivência. A resposta da natureza pode até demorar, mas não falha. Às vezes, é imediata, intrigante ou mesmo desafiadora. Só precisamos interpretá-la.
Num ato silencioso e inusitado, ela respondeu aos afiados machados e às violentas motoserras, maiores formas de desrespeito destruidor. Insistiu e exigiu seu espaço para expor a beleza de suas flores e a generosa sombra da sua copada., numa grande demonstração de energia e desejo de viver.
Derrubado e transformado em poste para suporte dos fios da rede elétrica, o Ipê Amarelo não se entregou. Com uma reação estupenda, recuperou sua pompa e reinado de árvore símbolo nacional. Rebelou-seà condenação injusta, criou sua raízes no solo e voltou a reinar absoluto, esbanjando alegria e beleza com sua identidade marcante.
Reconsiderando seu ato, o homem resolveu transferir a rede elétrica a um poste de concreto instalado ao lado. Agora, o Ipê reina livre dos fios.
Este Ipê, que pode ser honrado com "i" maiúsculo, é uma atração pública em Porto Velho, capital de Rondônia, distante 3.500 Km de Porto Alegre.
Doce privilégio dos moradores do bairro, a exemplo do fotógrafo amador Leandro Barcellos, gaúcho de Passo Fundo que reside em Porto Velho e nos cede a imagem para saboreio dos eletricitários gaúchos."

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Cãozinho perdido pára o trânsito no RS

Passageiro de carro desceu para retirar o animal de avenida movimentada. Em seguida, ciclista levou o filhote para local seguro em Passo Fundo.

Um cachorro perdido sensibilizou os motoristas da Avenida Brasil, uma das mais movimentadas de Passo Fundo (RS), nesta sexta-feira (12). Ele estava entre os carros, quando o passageiro de um carro desceu para salvá-lo. O cachorro foi colocado no acostamento e logo em seguida um ciclista o colocou dentro do casaco, levando o animal para um lugar seguro (Foto: Jean Pimentel/Zero Hora/Ag. RBS)
Fonte: G1 - O Portal de Notícias da Globo

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Quarteto Fantástico

Esses 4 bebês foram encontrados numa calçada, num dia quente e sem proteção. A Fernanda que encontrou eles, achou que estavam mortos de tão prostadinhos que estavam. Ainda estão mamando mas em seguida começarão a comer sozinhos pois devem estar com quase 1 mês de idade e os dentinhos já estão nascendo. Assim como o Quarteto, os bebês são 3 machinhos e uma fêmea e parece que serão de porte médio-grande.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Canil irregular é interditado - Gaspar - SC

Por DANIEL SOUZA - Jornal de Santa Catarina
Gaspar - Responsável por manter um canil onde foram encontrados 10 cães em situação de maus-tratos, o empresário Roberto Zen responderá por infração administrativa, sujeita a multa, e pode ser acusado pelo Ministério Público (MP). O órgão comandou a apreensão de animais em conjunto com a Vigilância Sanitária, sexta-feira, na Rodovia Jorge Lacerda, 2.828.A Vigilância encaminhou uma denúncia ao MP e reúne agora documentos para embasá-la. A multa pela infração ainda não foi definida. De acordo com o diretor de Vigilância e Saúde, Dorvalino Cardoso, o canil não possuía licença e foi interditado. Os cães estão sob proteção de voluntários da Associação Protetora de Animais de Blumenau (Aprablu), em local mantido em sigilo.- Por segurança nossa e dos animais, não podemos revelar onde é, mas vieram para nós com ordem judicial, estão recebendo tudo o que precisam e serão reabilitados. Depois veremos para onde vamos encaminhá-los - explica Barbara Lebrecht, presidente da associação.Barbara foi uma das voluntárias chamadas pela Vigilância Sanitária para socorrer os animais sexta-feira, e conta que eles estavam magros, feridos, passando fome e sede e sujeitos a acidentes por conta da má estrutura do local.De acordo com o diretor da Vigilância e Saúde, o proprietário do canil, que reside em Blumenau, ainda não foi notificado.( daniel.souza@santa.com.br )

Contraponto
O que diz o advogado de Roberto Zen, Evandro Massaneiro:
Massaneiro afirmou que Zen está viajando e não se encontra no Estado. O advogado só irá se pronunciar oficialmente após ter acesso aos detalhes da operação e dados apurados pela Vigilância Sanitária. Massaneiro adiantou, no entanto, que o funcionário responsável por cuidar e tratar os animais não foi encontrado nos últimos dias e que o cliente desconhecia a situação do canil. Ele citou, inclusive, que Roberto Zen integra a Federação Mundial de Criadores de Cachorro e alguns dos animais do canil já teriam ganho prêmios internacionais.
Fim da matéria.
Esse é o retrato do comércio de animais no Brasil. O retrato da exploração animal. Segundo relatos de voluntários da APRABLU, os cães da raça Pastor Alemão eram mantidos em canis úmidos, sem a mínima condição de higiene, famintos, desidratados, feridos, febris, alguns com partes do corpo mutiladas, vivendo sobre diarréia e por falta de alimento chegaram a devorar pedaços de pratos de alumínio, além das próprias fezes. O proprietário possui um canil na cidade de Blumenau e este, na cidade vizinha Gaspar, sem licença e para onde eram encaminhados os cães sem valor comercial. A instalação elétrica era precária com fios elétricos passando na umidade, o que favorecia um curto circuito a qualquer momento.
Os 10 cães foram resgatados à noite encaminhados a uma clínica veterinária, medicados e transferidos para local seguro no dia seguinte, sob responsabilidade da Aprablu, recebendo todos os cuidados médico-veterinários, num local com higiene e luz do sol. São extremamente carinhosos e carentes. O resgate foi autorizado pelo Ministério Público.
Duas cadelas pareciam prenhas. Uma está com abdomen muito inchado, como pode-se ver na foto abaixo. Mal andavam, as patas traseiras de todos estavam descalcificadas.


Os cães foram cadastrados individualmente e já possuiam tatuagem nas orelhas (alguns nem tem mais orelhas). São todos registrados no Kenel Club.


Uma das fêmeas deu a luz a 8 filhotes, 7 sobreviveram. Foi pedida a prisão do dono dos animais. Parabéns à APRABLU e seus voluntários pela ação! Que seja feita justiça e que esse caso sirva de exemplo para evitar que outros aconteçam.


Pelo fim da escravidão animal!

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Vetada na UE, cobaia é usada no Brasil

País não cria alternativas para os testes de cosméticos com animais, que serão proibidos pela Europa a partir de 2009.
Empresas que podem pagar mais buscam alternativas "in vitro" fora do país; para especialista, legislação precisa ser mais explícita.

Coelho que é usado normalmente para testes de produtos cosméticos em instituto da Unicamp

EDUARDO GERAQUE DA REPORTAGEM LOCAL


O Brasil, ao contrário da União Européia, mostra pouca preocupação com os animais de laboratório usados em testes de segurança de cosméticos. Enquanto na Europa esses experimentos serão proibidos a partir de março de 2009, aqui não existem procedimentos alternativos sendo desenvolvidos em escala comercial. "Esse é um problema que temos. Não existem testes alternativos em escala comercial no mercado nacional", afirma Idalina Salgado-Santos, diretora científica da Evic Brasil.

A empresa faz testes para cosméticos para companhias nacionais na França sem usar animais. Por isso, afirma, se a lei européia valesse para o Brasil, a Evic "não teria nenhum problema". A UE, onde os movimentos pelos direitos dos animais são estridentes, já discute o tema desde o século passado. Ao mesmo tempo que avançam rumo à proibição, os países europeus também vêm criando alternativas sem animais. Os parâmetros corrosividade cutânea e fototoxicidade aguda, ambos tradicionalmente testados com a aplicação de matéria-prima ou do produto pronto sobre a pele do animal, por exemplo, já foram resolvidos. Já existem quatro testes alternativos credenciados só para esses dois itens na UE. Em um deles para testar o poder de corrosão do produto, as aplicações são feitas sobre um modelo tridimensional de pele humana. No caso da fototoxicidade, o protocolo deste teste alternativo aprovado pela UE diz que os experimentos devem ser feitos sobre culturas de células também da pele, mas de rato. São vários os parâmetros (características) que precisam ser testados antes de um produto chegar às prateleiras, informa a Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária). Além da corrosão e do impacto dos raios ultravioleta (fototoxicidade), é preciso saber ainda se o produto vai causar irritação nos olhos e nas mucosas, até genitais se for o caso. Apesar de não haver regra nacional sobre os testes, a Anvisa aceita testes alternativos feitos fora do Brasil.

Alto custo

Entre 1999 e 2002, a União Européia apoiou 43 projetos de pesquisa de testes alternativos, com investimentos totais da ordem de 80 milhões de euros. Tudo para tentar evitar o uso de pelo menos 9.000 animais todos os anos em testes feitos exclusivamente para cosméticos. Estimativa idêntica para o cenário nacional não existe. No Brasil, as grandes empresas do setor, como Natura e O Boticário, não usam mais animais em sua cadeia de produção -a primeira desde 2005 e a segunda desde 2000, segundo as diretorias das duas companhias, ouvidas pela Folha. Mas muitos laboratórios fazem testes em animais, inclusive os de córnea, para os clientes que não podem ter acesso, muitas vezes por causa do preço alto, aos testes feitos na Europa. Alguns desses laboratórios são públicos, como o Instituto Adolfo Lutz de São Paulo - a assessoria de imprensa do órgão não localizou ninguém para falar sobre os testes. E o CPQBA (Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Um dos coordenadores do órgão, João Ernesto de Carvalho, falou à Folha . "Além de antiético é ilegal o uso de animais em testes para cosméticos, porque existem alternativas para isso" , reclama Gabriela Toledo, vice-presidente da ONG PEA (Projeto Esperança Animal). No site da entidade (www.pea.org.br), existe uma lista de algumas empresas que usam e não usam animais para testes. "Essa prática ocorre, primeiro por falta de informações ou de vontade dos laboratórios em buscar métodos substitutivos e, em segundo lugar, porque a utilização de animais é um método menos oneroso", afirma Toledo, que deixou a faculdade de veterinária quando era obrigada a utilizar animais. A mesma opinião tem a especialista em bioética Patrícia Alcântara, da Universidade de Brasília. "O importante é deixar claro a importância dos testes alternativos na legislação."A própria UE reconhece que, para algumas situações, a questão ainda é complexa. Não dá para saber se um produto será cancerígeno sem os animais, por exemplo.


http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe2402200801.htm


terça-feira, 19 de agosto de 2008

Maresia doada em 19/08/08

A Maresia estava preocupada em causar uma boa impressão à sua nova família e acabou nos proporcionando um desfile de moda para escolher a roupa que iria vestir.
Este vestidinho ficou uma graça mas um pouco apertado...

Este, um pouco grande...
Ah! É este! Ótimo para homenagear o novo papai: Maresia versão Tropa de Elite!

Papai Carlos e mamãe Nathalia amaram a surpresa! E mais ainda, a Maresia!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Rex - 12/08/08


O Rex é um cão velhinho.
Apesar de ter descoberto o nome dele, nenhum morador da vila assume sua guarda.
Ele tem sarna demodécica e é difícil mantê-lo com pêlos.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Preta - castrada em 08/08/08

A Preta também tinha um nódulo na mama que foi retirado na cirurgia.

terça-feira, 29 de julho de 2008

Castrada em 29 de julho

Responsável: Maria Helena

Direto da praia de Imbé: Maresia!

Era uma vez, duas cachorrinhas que viviam nas ruas da praia de Imbé, no litoral do RS. Como não tinham casa onde pudessem ficar separadas dos cães machos e não eram castradas, engravidaram e ganharam seus filhotes em uma toca cavada por elas mesmas, nos cômoros de areia, quase na beira do mar.

Duas mães, duas ninhadas, dez filhotes e uma toca na areia.

As mamães e os bebês começaram a ser cuidados por algumas pessoas que levavam comida e pediram ajuda para tirá-los de lá antes que viesse uma chuva muito forte e frio. Começou uma campanha na internet e conseguiram com que várias pessoas se responsabilizassem pelos filhotes. Duas mamães que se revezam nos cuidados com eles. Enquanto a cadela marrom linda e gorda vai dar de mamá, o mais clara fica de guarda, um pouco mais acima, extremamente vigilante e alerta. Quando se aproxima alguém ela já late e faz a guarda. Enquanto isto os bebês mamam... E assim ambas cuidam muito bem deles. As mãezinhas pregaram um susto nas pessoas que estavam alimentando a turma. Mudaram de toca! Cavaram outro buraco e levaram todos os filhotes para a nova casa.

Nesse meio tempo, também ganharam uma casinha que foi colocada ao lado da toca.

Todos os filhotes conseguiram uma madrinha cada um e as mães vão ganhar a castração. Uma madrinha trouxe os bebês para Porto Alegre onde foram encaminhados para suas novas madrinhas. Eu fiquei com um bebê, a Maresia. O nome é porque eles têm um cheirinho de peixe... pensei em chamá-la de bacalhau, sardinha, tainha mas achei que Maresia era mais delicado sem perder o "aroma" natural.

Para adotar a Maresia, que deverá ser de porte médio-grande, já come ração seca e já tomou remédio para vermes, entre em contato comigo pelo e-mail adoteumfocinho@terra.com.br. Para adotar um dos seus irmãozinhos, entre em contato com uma de suas madrinhas, pelos endereços abaixo:

leonise10@gmail.com com Leonise, que ficou com 1 fêmea marrom.

Thiane_nunes@yahoo.com.br com Thiane, que ficou com 1 fêmea branquinha, como a Maresia.

luciane@unifin.com.br a Luciane trouxe os bebês da praia para Porto Alegre e continua ajudando os 3 que ficaram lá para mamar mais um pouco pois eram muito pequenos.

Demais filhotes, uma fêmea marrom e um machinho branco com manchinhas:
josiane@focinhoonline.com.br
mern1964@yahoo.com.br
Jussara@elonet.com.br

Essa história ganhou um vídeo no YouTube, não deixem de assistir:

http://www.youtube.com/watch?v=2b8p0Z4yfiA