Cada vez que você compra um filhote, morre um animal na carrocinha ou num abrigo.



segunda-feira, 30 de junho de 2008

Sarninha


A Sarninha chegou com uns 2 meses aqui e tinha umas falhas no pêlo que parecia uma sarninha por isso, ficou com esse nome. Ela é muito arisca. De todos os bebês que foram retirados do terreno ela é a mais arisca, sempre fazendo fuuu prá mim.
Situação atual: para adoção

domingo, 29 de junho de 2008

Tigrão

O Tigrão também veio do terreno da Saturnino e é irmão da Sarninha. É arisco como ela mas adora um carinho.

sábado, 28 de junho de 2008

Touradas vêm perdendo simpatizantes

Crise de popularidade
Touradas vêm perdendo simpatizantes
Publicada em 28/06/2008 às 20h27m
O Globo Online

As touradas já não seduzem os espanhóis como antigamente. A conclusão é de uma pesquisa de opinião realizada pelo Instituto Gallup que mostra que o número de simpatizantes do espetáculo, hoje, não passa de 31%. Nos anos 80, a cifra era bem superior: 50%. E nos anos 70, era ainda maior: 55%. Segundo matéria de Priscila Guilayn, publicada neste domingo no jornal O Globo, a acentuada queda de popularidade estaria diretamente relacionada com o crescimento de movimentos anti-touradas, que usam como argumento a dramática cifra de11 mil touros mortos anualmente em plena arena.

José Tomás: herói camicase nas arenas da Espanha, Barcelona, em 2004, se declarou contra as touradas, embora não possa proibi-las porque o assunto é competência das Comunidades Autônomas e não das prefeituras. Cidades menores, como Coslada ou Tossa de Mar(Girona) também são oficialmente antitourada. Na Catalunha, menores de14 anos não podem assitir a touradas nem mesmo acompanhados dos pais. No País Basco, os menores de 16 anos devem ver o espetáculo ao lado de um responsável. Os favoráveis às touradas, no entanto, ainda são maioria: em pesquisa de 1995, do Centro de Investigações Sociológicas, 45,5% se diziam a favor das touradas e 39,9%, contra.

As touradas representam uma Espanha atrasada, franquista. A Espanhade hoje é moderna e acompanha a abertura cultural de países como Alemanha, Reino Unido, França ou Itália - diz Marta Árias, do Partido Anti-Tourada Contra o Maltrato de Animais (PACMA). Se as touradas deixam de receber subvenção pública, tenho certeza que desapareceriam porque o interesse dos jovens é cada vez menor. Essa imagem associada ao franquismo se remonta justamente à década de 60, época em que "El Cordobés" fazia o público vibrar. O ditadorFrancisco Franco, aproveitando-se de sua popularidade, transformou o toureiro em seu personagem favorito, assistindo a suas touradas e convidando-o para caçar.
Leia reportagem completa no GLOBO DIGITAL (somente para assinantes)http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2008/06/28/touradas_vem_perdendo_simpatizantes-547014534.asp

sexta-feira, 27 de junho de 2008

quarta-feira, 11 de junho de 2008

7 anõezinhos

11 de junho - 7h10. Adivinha o que tinha no portão da frente???? Uma caixa se mexendo... abri e encontrei os 7 anõezinhos dentro! Sete cachorrinhos! 4 meninas e 3 meninos.

video

terça-feira, 10 de junho de 2008

Poodle é espancado e agressor leva multa

10/06/2008 - 09h47 Poodle é espancado e agressor leva multa de R$ 2.000
LUCAS FERRAZ da Folha de S.Paulo, em Brasília

Um jovem de 18 anos foi multado em R$ 2.000 pelo Ibama, por espancar um poodle. O animal teve a perna direita e a bacia quebradas. Foram os vizinhos, indignados com a atitude de Patrick Moitroux, que fizeram a denúncia. Segundo Antônio Paulo de Paiva, coordenador da divisão de fiscalizaçãode fauna do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e que investigou o caso, a denúncia foi feita na última quinta-feira (5), mas só no dia seguinte a equipe conseguiu localizar o poodle Bob, que fora levado ao veterinário pela namorada do jovem. O rapaz tentou se explicar, disse o funcionário do instituto, que não se convenceu e o indiciou por maus-tratos baseado no artigo 32 da lei de crimes ambientais. "A lei não se aplica somente a crimes contra animais silvestres mas também contra os domésticos", diz Paiva. Segundo ele, há várias denúncias sobre agressões a cachorros, mas as demandas não são atendidas por "deficiências do Ibama". A pena para esse tipo de crime, classificada por ele como "branda demais", é de um ano de detenção."Ele [o jovem] vai acabar prestando serviço à comunidade ou pagando cesta básica e fica por isso mesmo."O Ibama vai encaminhar relatório sobre o caso ao Ministério Público Federal, que ficará encarregado de tocar a ação. O instituto, contudo, continua nesta semana a investigar outra caso de espancamento a um cão em Brasília que causou revolta: o animal, quando chegou ao veterinário, totalmente desfigurado, segundo relato, precisou sersubmetido a eutanásia. No caso de Bob, após a agressão, várias famílias se apresentaram para recebê-lo. A adoção se confirmou ontem (9), depois de análise doIbama. "Vi a história na TV e fiquei mobilizada", disse a nova dona de Bob, a engenheira florestal Valquíria Gonçalves, 38, casada, mãe de duas filhas."Vamos dar todo o carinho que ele não teve até então." Bob passou por uma cirurgia e está bem, conta Valquíria. A previsão é que ele esteja recuperado em 60 dias.A Folha não conseguiu localizar Patrick no telefone do apartamento onde morava. Segundo o funcionário do Ibama que apurou o caso, o jovem se mudou do local, temendo represálias dos vizinhos.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/bichos/ult10006u410708.shtml

domingo, 8 de junho de 2008

Tinho

Tinho versão inverno.


Esse, é danado!

Baixinho e invocado! Mas também é um doce! Só não pode conviver com outro macho sossegando apenas, quando se mudou para o canil da Tina, Quica e Mel. Os 4 formam a turma da Xuxa, a turma dos Baixinhos! O que ele tem de tinhoso, tem querido! Ele precisa de um pátio onde seja, preferencialmente, filho único ou, companheiro de uma fêmea.

Olhem só o olhar! Ele faz um olharzinho que ainda não consegui registrar mas parece o gato de botas do Sherék! Situação Atual: Adoção Urgente!....

video

quinta-feira, 5 de junho de 2008

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Projeto Castracãoegato

Castrar é um ato de amor e a melhor opção
para evitarmos que haja cada vez mais animais abandonados.








A superpopulação de cães e gatos é, hoje, uma triste realidade. Milhares de animais são abandonados por seus responsáveis, passam fome, sede e frio, e ainda são vítimas de atropelamentos, espancamentos, estupros e mutilações.
Ao serem recolhidos pela carrocinha, são mortos de forma cruel. Vagando pelas ruas, representam ameaça à saúde pública. Diante do dilema, as autoridades acabam exterminando estes animais.
A solução de matar os cães e gatos abandonados tem sido tolerada há tempo demais, como se não houvesse outro meio de lidar com o problema.
A esterilização elimina de forma permanente a capacidade reprodutiva do animal, e significa controle populacional e, portanto, menos animais sem lar.
Algumas pessoas condenam a castração por submeter o animal aos riscos de uma cirurgia desnecessária. Mas, feita por profissionais competentes, a operação dificilmente apresenta complicações. Afinal, é uma cirurgia que melhora muito a qualidade de vida dos bichinhos de estimação.


Por tudo isso é que lançamos o Projeto de Castrações na vila.


Cães e gatos da Vila Pinto, em Porto Alegre, estão sendo esterilizados e para agilizar e evitar crias indesejadas e sujeitas ao abandono e maus-tratos, fotografamos e cadastramos alguns animais que estão prontos para ser castrados.
São animais de moradores das vilas que não possuem condições para pagar uma consulta veterinária, quanto mais, uma cirurgia de castração.

Você pode apadrinhar a cirurgia de um deles. Estamos divulgando as fotos das candidatas a serem beneficiadas pela campanha. Você escolhe sua afilhada, envia um e-mail para adoteumfocinho.tiane@yahoo.com
informando o nome da afilhada, o seu nome e e-mail.

Ajude a educar a população sobre essa necessidade, como ato de amor e responsabilidade. Esterilização é a solução! Esterilizando, a superpopulação de animais diminui. É melhor evitar o nascimento do que eliminá-los.



Acabe com a carrocinha, castre as cadelinhas e gatinhas!

Laika

A Laika era uma das candidatas para esterilização. Além da cirurgia de castração ela precisava retirar um nódulo na mama.
Laika na clínica esperando para ser atendida
A cirurgia foi realizada dia 03 de junho.

Sara

.
Leia mais sobre a Sara na sessão "Cães"

terça-feira, 3 de junho de 2008

Magrão ou Bob?


Não sei o nome desse cão. Eu o chamo por Magrão mas parece que o nome pode ser Bob. Pelo que fiquei sabendo ele tinha uma família mas eles não o quiseram mais e não deixaram mais que ele entrasse. Virou andarilho e passa os dias caminhando pela redondeza. Tem vindo comer na minha casa. Estou tentando descobrir quem era sua família. O Magrão está precisando de uma casa e tomar um banho. Quem quiser apadrinhar o banho dele, que custa R$ 10,00, mande uma mensagem para adoteumfocinho@terra.com.br .

Novos focinhos na área...

Na sexta-feira de tarde, dia 6 de junho, fui levar a Laika de volta para a casa. Ela havia sido castrada através do Projeto Castracãoegato. Comecei a descer em direção à vila quando vi, de longe, uma bolinha amarelada no meio da rua. Logo veio a gurizada avisando que uma mulher largou uma caixinha com dois filhotes dentro de uma caçamba de entulhos que estava parada na rua. Esse maiorzinho estav caminhando e cheirando o chão em volta da irmãzinha dele que estava deitadinha, cabisbaixa. Ela era menor que ele e estava bem mais fraca também. Não resistiu e acabou morrendo durante a noite.

Ele foi batizado de Bacon. Tomou banho no sábado. Olha ele aí embaixo, tomando solzinho depois do banho. Isso foi antes de começar a chuva. Ele até ficou um pouco alegre mas não durou muito.

Veio o frio e ele ficou tristinho! Não tá gostando nada, nada desse frio.

O Bacon também não resistiu...

domingo, 1 de junho de 2008

4 momentos da Feliska

Quando foi jogada por cima do muro com seus 3 bebês que morreram, em janeiro de 2007.
Setembro de 2007:

Junho de 2008, versão inverno.

Situação atual: para adoção há 1 ano e meio.

Vira-Lata

Das criaturas, entre o céu e a terra, foi dado a uma tornar-se especial: é o cachorro vira-lata.
Vira-lata é o "nome científico" dessa raça de cães que vive entre os homens com a liberdade que os bípedes almejam tanto e não têm, embora possuam um par de membros desocupados para fazer o que quiserem.
É o rei dos bichos de nome composto, com seu verbo, seu hífen e seu substantivo.

Um vira-lata sempre parece saber para onde vai, com seu passo decidido. E, se parado, aparenta a placidez de quem está no devido lugar, na hora certa. Os humanos, por mais que saibam para onde ir, sempre têm esse ar um tanto patético dos perdidos no mundo. Parados, mal sabem onde pôr as mãos. Por isso, os bolsos. E eles, junto com os bolsos, inventaram uma designação meio estúpida para o vira-lata: srd ou sem-raça-definida.

Os homens precisam definir tudo. Porque os cães de raça, cada homem escolhe de acordo com o apartamento ou casa - que tem - ou personalidade - que acha que tem. E, assim, os cães de raça, com suas designações pomposas e pedigris, podem ser escolhidos por seus donos, criteriosamente.

O vira-lata, por sua vez, prefere e sabe fazer escolhas ele mesmo. Sem árvore genealógica, atravessa a rua sozinho e consegue comida com sua humilde auto-suficiência. Há, sem dúvida, mais nobreza em um vira-lata que em um galgo de corrida. As agruras da sarna, dos atropelamentos e das pedradas dão fibra à sua alma.

Repare naqueles que nunca tiveram um vira-lata. Parece que lhes falta algo. O sorriso, talvez, tenha menos de rabo abanando em seus componentes e mais de tédio e fleuma, ou coisa assim. O vira-lata ensina a ser feliz com pouco. Mesmo quem não tem nada pode ter um cão, desde que ele deixe.

O bêbado e o louco conversam com um vira-lata de igual para igual. Ao menos esses conseguem se alçar à altura do cão. E este lhes lambe as mãos. Veja a procissão de cães atrás de uma única cadela. Dinastias inteiras de vira-latas foram fecundadas e fundadas em madrugadas quando até o amor, esse item em extinção, era dividido.

Vira-latas há aos montes por aí. E não tem um que seja igual ao outro. Parecidos, às vezes. Em sua miscelânea genética, ele é antes de tudo um forte. Nunca precisou de vacina pra sobreviver.> Quando perguntam por aí: se você fosse um bicho qual seria?, todos respondem coisas como águia, leão ou tigre. Eu demorei pra descobrir, mas hoje eu respondo de boca-cheia.

Se eu fosse um bicho, eu seria um vira-lata. Desses amarelos.

[texto internet]